Centro Israelita | O mês de Elul e o receptáculo ao divino
19699
post-template-default,single,single-post,postid-19699,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

O mês de Elul e o receptáculo ao divino

O mês de Elul e o receptáculo ao divino

Jewish man blowing the Shofar against blue sky

Está começando o último mês de 5778. A partir do término do próximo Shabat (11/08), Elul chega dando ao povo judeu a tarefa de se tornar um receptáculo ao divino. O mês de Elul é a chave para destrancar o significado interior e mais potente do coração, já em preparação para as Grandes Festas que estão por vir.

As letras hebraicas para formar a palavra “Elul” – alef, lamed, vav e lamed -, são um acrônimo para a frase (do Cântico dos Cânticos bíblico) “ani l’dodi v’dodi li”, que significa “eu sou do meu amado e meu amado é para mim”. Sim, a mesma frase que os noivos dizem em sua chupá e que, também, representa o relacionamento com Deus.  O Zohar explica que. no início deste mês, estamos “achor el achor”, que significa “costas com costas”, e ao final, “panim el panim”, ou “face a face”. É o mês de Elul que nos ensina a necessidade de estarmos dispostos a nos voltar.

Nosso Criador está ali, no campo, e não importa como possamos nos sentir, Ele nunca deu as costas. Tudo que precisamos fazer é nos virar para perceber que Ele está esperando por nós. O “costa a costa” é baseado em nossas percepções equivocadas, nossos temores, nossas presunções. Somente quando nos viramos é que entendemos a verdade, a essência interior. O “face a face” não significa que podemos somente olhar um para o outro, mas também um no outro. Afinal, o radical da palavra “panim” é mo mesmo de “pnimiyut”, que significa interiorização.

Que ao longo do mês de Elul, ao escutarmos o toque do Shofar e iniciarmos nossa preparação para Iamim Noraim, possamos sentir, de frente, a presença de Deus em nossas vidas.

No Comments

Post A Comment